Participe do S/A

SEJA BEM VINDO!

VOCÊ, leitor do blog, pode ficar a vontade para mandar opiniões e também participar de nossas pautas. Mande a sua sugestão do que gostaria de ver no S/A para o e-mail: sarepassado@gmail.com.

Mas não se esqueça da principal intenção: disseminar culturas de maneira rica e bonita.

Esperamos a sua participação.

A equipe S/A Repassado agradece pela visita!

Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , , , , , | 2 Comentários

Drops S/A: o drama da mutilação genital feminina

______________________

O dia 06 de fevereiro é marcado pela ONU como o Dia Internacional de Tolerância Zero à Mutilação Genital.
_____________

Nesse Drops S/A falaremos sobre um assunto que já foi abordado no blog como podem ver na matéria ‘Inspiração Somali‘, mas devido ao Dia Internacional de Tolerância Zero à Mutilação Genital iremos lembrá-los sobre essa injustiça que destrói vidas de milhões de mulheres há anos, principalmente em países da África e do Oriente Médio.

Para quem não sabe o que é a mutilação feminina, trata-se de uma prática cultural consistente em amputar o clitóris das mulheres ainda crianças, para que não possam sentir prazer durante suas relações sexuais. Infelizmente por se tratar de uma atitude cultural, muitos familiares e até mesmo mulheres, acreditam que se não houver a circuncisão elas não conseguirão arranjar um marido, pois esse doloroso processo demonstra que se é “pura”. Também usam como explicação que, uma mulher que não se submete a mutilação não “será capaz de dar à luz, ou que o contato com o clitóris é fatal ao bebê, e ainda, que melhora a fertilidade da mulher”. Infelizmente é assim que muitos pensam até hoje.

Mulheres de família somali - Fatma (a esquerda), Lu (filha de Fatma ao meio) e Samira (neta de Fatma direita). Fatma e Lu foram submetidas a circuncisão feminina, já Samira nascida no Reino Unido não passou pela multilação. (Imagem: BBC Brasil)

Mulheres de família somali – Fatma (a esquerda), Lu (filha de Fatma ao meio) e Samira (neta de Fatma a direita). Fatma e Lu foram submetidas a circuncisão feminina, já Samira nascida no Reino Unido, não passou pela mutilação. (Imagem: BBC Brasil)

Estima-se que cerca de 129 milhões de mulheres sofrem diariamente por terem passado por esse processo de circuncisão. Além de não sentirem prazer pela prática sexual, elas sofrem com graves dores e não conseguem manter seus órgãos genitais limpos, o que gera em infecções e podem levá-las à morte.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon afirma que a data é considerada uma oportunidade de colocar um basta nessa prática sócio-cultural, que tira de milhões de mulheres o direito de viverem felizes e saudáveis.

Os países marcados em vermelho são os principais locais onde ainda se é feita a mutilação feminina. (Imagem: Wikipédia)

Os países marcados de vermelho são os principais locais onde ainda se é feita a mutilação feminina. (Imagem: Wikipédia)

Alguns países africanos já adotaram leis contra a prática de circuncisão: Guiné-Bissau, Uganda, Quênia e Etiópia são alguns que não aceitam que as mulheres passem por essa crueldade. Lembrando que nos anos 90, a ex-modelo e ativista somali Waris Dirie deu uma proporção mundial ao assunto, após relatar tudo o que passou na Somália para uma tevê inglesa —, em 2010 foi lançado o filme “Flor do Deserto”, baseado em sua auto-biografia. Para assistir ao filme, basta clicar no vídeo abaixo:

Quer saber mais sobre mutilação genital feminina? Acesse:
ONU Brasil: www.unmultimedia.org 
Revista Exame: www.exame.abril.com.br
BBC: www.bbc.co.uk
 
Categorias: Drops S/A, Uncategorized | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

[S/A Entrevista] Skateistan: a esperança em forma de skate

_______________________________

Um jovem australiano, três skates e uma vontade imensa de reverter a história. Foi assim que Oliver Percovich criou o Skateistan, uma ONG que começou no Afeganistão e pode contribuir para o futuro de crianças que são conhecidas como filhos da guerra.

______________

foto1 cópia

Skateistan é uma Organização Não Governamental criada em 2007 pelo australiano Oliver Percovich, que depois de uma visita ao Afeganistão e com três skates em sua mala, começou a plantar uma semente de esperança nas crianças e adolescentes de Cabul, capital afegã. Ele passou a utilizar do esporte para tirar órfãos de guerra das ruas e contribuir na socialização e educação desses jovens. Inicialmente com poucos recursos, o skatista dava aulas básicas em uma piscina vazia da capital. Dois anos depois o projeto recebeu uma doação de mais ou menos 85 mil euros, a maior contribuição desde então que foi dada pelos governos do Canadá, Alemanha, Noruega e de indústrias voltadas ao universo do skate para que fosse construído o primeiro Skate Park do Afeganistão — incentivado, Oliver decidiu se dedicar 100% para o Skateistan, que hoje possui mais de 400 crianças e adolescentes no Afeganistão, e agora também no Camboja e Paquistão.  O seu trabalho é reconhecido mundialmente por quebrar tabus e ensinar meninas a andarem de skate, que juntas já somam cerca de 40% dos alunos, o que para a cultura afegã ainda não é de bom grado —, mas falaremos um pouco mais sobre isso adiante.

Gentilmente, Ollie (como gosta de ser chamado) cedeu uma pequena entrevista exclusiva para o S/A Repassado, falando sobre o Skateistan e mandando uma mensagem para os brasileiros.

O que mais te motivou a iniciar esse projeto?

Ollie: Vi a necessidade de conectar as crianças do Afeganistão com o resto do mundo. E eu também queria ensiná-las como serem solícitas entre si, em vez de depender dos outros pra resolver seus problemas.

Em 2011 foi lançado um documentário chamado “Skateistan – To Live and Skate Kabul”, que inicialmente era apenas um curta-metragem produzido pelo cineasta inglês Orlando Von Einsiedel, que mostra a vida de dois jovens afegãos que passaram a frequentar o Skateistan e mudam seu olhar com relação ao futuro do Afeganistão, depois de anos vivendo sob o regime talibã. Vale a pena assistir, é lindo.

Qual foi a maior dificuldade no início do Skateistan?

Ollie: Não tínhamos dinheiro, todos pensavam ser uma ideia maluca e o Afeganistão é potencialmente um lugar muito perigoso para se viver e trabalhar. Por isso ninguém acreditava que um dia seria possível realizar um projeto esportivo com meninas dentro do país.

slide01

slide10

Oliver entrou nesse projeto com a certeza de que não seria fácil dar início a um novo esporte no Afeganistão, principalmente após o período pós guerra que todos passavam. Porém ele afirma que o principal objetivo sempre foi acolher as crianças que vivem pelas ruas de Cabul, e que por isso lutou e luta pelo Skateistan para presenciar a diferença sendo feita pelos jovens afegãos. Ele deixa bem claro que ama o país como ele ama os seus habitantes.

O que mais te surpreende no povo afegão?

Ollie: As pessoas são muito resilientes em frente a tantos desafios. Eles valorizam a família, amigos e fazem ações através de redes socias, mesmo sem dinheiro.

A maior polêmica do Skateistan até hoje é a coragem que Oliver e sua equipe tiveram para iniciar um trabalho com garotas afegãs. Afinal o mundo sabe que, não apenas por se tratar de um país onde 99% de sua população é muçulmana, o Afeganistão tem um presente muito rigoroso quanto aos direitos femininos, e que infelizmente ainda hoje menos de 20% das meninas sabem ler ou escrever por motivos culturais.  Para lutar contra essa estatística o projeto possuí 40% de meninas entre o total de alunos e 50% de seus funcionários são mulheres.

Nesse vídeo é possível ver um pouco das atividades com as meninas, desde aulas educacionais a manobras de skate no galpão do Skate Park de Cabul.


GSD11-Kabul-AfghanClothesGirls cópia

Oliver, você acredita que a geração Skateistan mudará o Afeganistão? Como isso seria possível?

Ollie: Absolutamente! Eles irão mudar o Afeganistão mostrando uns aos outros que apesar das dificuldades durante o caminho de sua vidas, eles são felizes. Que oferecerão esperança para o país e serão dedicados a viver aprendendo no sentido de resolver os problemas que eles enfrentam na vida. A maior parte da população desse país é jovem, com 40% abaixo dos 14 anos. A juventude do Afeganistão irá ouvir essa mensagem de esperança e espalharão pelas crianças de suas mesmas idades, deste modo transformando a sociedade. Eles são fundamentais para decidirem o que querem, unir forças  e alcançarem seus objetivos.

Em setembro de 2012, o prédio da Força Internacional de Assistência para Segurança da OTAN sofreu um atentado suicida de um garoto de 17 anos,  que infelizmente também matou quatro alunos da ONG.  Os instrutores Nawab (17) e Korshid (14), a irmã de Korshid, Parwana (8), Assad, primo deles, e Mohammed Eesa, (13). Um fato muito triste, mas que de acordo com o porta-voz do Skateistan Cabul, Rhianon Bader, o incidente trágico só tornou ainda mais claro a importância que é preciso se dar às crianças de rua do Afeganistão.

slide02

O diretor da ONG acredita que se não fosse pelo skate ele seria uma pessoa muito mais chata e nem sonharia dar início ao projeto. Hoje, o Skateistan é sustentado por patrocinadores e investidores do mundo todo, além dos produtos com a marca da ONG, que são vendidos no site (www.skateistan.org), e também de doações feitas por pessoas físicas. Ele também já recebeu centenas de prêmios pelo seu trabalho com as crianças afegãs.

Ollie, qual mensagem você passaria para os brasileiros que também acreditam em um mundo com mais “Skateistan” e menos guerras?

Ollie: Existe um provérbio em Dari: “Drop by drop a river is formed – Gota a gota um rio é formado”. Se você quer ver alguma pequena mudança, seja o primeiro a fazer algo a respeito sobre isso. Existe algo muito poderoso em acreditar em si mesmo e agir, não importa o quão pequena seja a sua ação.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Apesar da curta entrevista, conseguimos entender o amor e o carinho que esse australiano tem pelo seu projeto. Que resgatar os filhos da guerra através do esporte com certeza dará frutos e fará história no mundo todo. Inspirador é como definimos o Skateistan. uma esperança para quem está do outro lado do mundo e descobre que existem “Olivers” ajudando a manter povos, que amam seu lar e cultura.

Saiba mais sobre o Skateistan através das suas redes sociais como Instagram, YouTube, Facebook, Vimeo e principalmente pelo site: www.skateistan.org.

Quer dar a sua opinião sobre essa postagem?
Então escreva o que quiser no espaço logo abaixo, será um prazer ler o seu comentário!

Categorias: Entrevista, Uncategorized | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Realidade fotográfica – Afeganistão

Professor afegão dá aula para crianças em campo de refugiados localizado em Nangarhar, Jalalabad.

Professor afegão dá aula para crianças em campo de refugiados localizado na província de Nangarhar, em Jalalabad (Foto: People)

Categorias: Afeganistão, Foto do dia | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Retorno com esperança afegã

Oh meu Deus… 
Dá-me felicidade nesta terra 
na esperança da Ressurreição.”  
Trecho do poema ‘Elahi, Elahi’ do poeta afegão, Khawaja Abdullah Ansari (1005-1090).
 

Apesar do S/A Repassado estar parado há alguns meses, o desejo de manter esse projeto é imenso e por isso continuaremos. 

Para quem conhece o nosso trabalho sabe que a motivação vem do encantamento por culturas ao redor do mundo, de um modo especial sobre os mais omitidos. Por isso, realizar esse retorno falando de um país como o Afeganistão é prazeroso e incentivador. São muitos anos, muitas histórias, reinos, verdades e inverdades, mas o que mais encanta nesse país é a luta pela resistência cultural. Partindo desse princípio, esqueçam as guerras e tristezas que os rodeiam, vamos sim falar da situação atual, mas resgatar o encanto do Afeganistão e dos afegãos.

Com certeza a nossa foto de capa não passou desapercebida por você, e há uma curiosidade muito típica nessa imagem, além dos reluzentes olhos claros, a flor que o garoto afegão segura. Sim, no Afeganistão, apesar da aridez do solo, fora da cordilheira de Hindu Kush, é possível encontrar as mais belas flores do mundo. E ao contrário de outros países, as lindas flores não ficam em campos distantes ou em altas colinas, elas podem ser encontradas nos quintais e praças afegãs. O povo afegão é muito apaixonado por flores, por isso não se assuste se um dia ao visitar o país você receber de presente uma linda flor de papoula. Sim, a temida flor que produz o ópio, mas vamos deixar esse assunto para outra postagem.

Veja algumas imagens dos afegãos e suas flores:

Garoto afegão carrega saco com rosas damascenas para produção de fragrâncias.

Garoto afegão carrega saco com rosas damascenas para produção de fragrâncias.

O cultivo de flores selvagens no Afeganistão é um grande impacto positivo na economia local. Uma prática que é passada de geração a geração e que dura milhares de anos. Hoje, centenas de empresas de porte mundiais pagam muitos euros por um litro de óleo de rosas afegãs.

Campo de papoulas em Khogyani, no distrito de Jalalabad, leste de Cabul. (Foto: Rahmat Gul/AP)

Campo de papoulas em Khogyani, no distrito de Jalalabad, leste de Cabul. (Foto: Rahmat Gul/AP)

Guarda afegão carrega uma flor junto com sua arma no distrito de Maiwand, na província de Kandahar. (Foto: Baz Ratner /Reuters)

Guarda afegão carrega uma flor junto com sua arma no distrito de Maiwand, na província de Kandahar. (Foto: Baz Ratner /Reuters)

Garoto usa um punhado de flores selvagens atrás da orelha, na província de Kunar, durante cerimônia fúnebre. (Foto: James Lee)

Garoto usa um punhado de flores selvagens atrás da orelha, na província de Kunar, durante cerimônia fúnebre. (Foto: James Lee)

Homens colhem flores de papoula em Jalalabad, no leste do Afeganistão.

Homens colhem flores de papoula em Jalalabad, no leste do Afeganistão.

Quer dar a sua opinião sobre essa postagem?
Então escreva o que quiser no espaço logo abaixo, será um prazer ler o seu comentário!

Categorias: Afeganistão | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Foto do dia – ÁFRICA DO SUL

Vista da cidade de Cape Town a noite, um dos locais mais procurados da África do sul (foto: Google)

Categorias: Foto do dia | Tags: , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comentário

Livraria Cultural – África do Sul

Com todas as novidades no S/A, também postaremos dicas de livros para explorar e abranger os conhecimentos do país da semana, nesse caso a África do Sul. Fizemos uma seleção com 5 opções que merecem sua atenção:

1. África do Sul, o Apartheid: Como era, como ficou
Autor: Portela, Fernando/ Scarlato, Francisco Capuano
Editora: Ática

2. Ao Sul da África
Autor: Laurence Quentin
Editora: Companhia das Letrinhas

3. Zim. Uma Aventura no Sul da África
Autor: Pinto, Vitor Gomes
Editora: Conex

4. Guia Essencial – África do Sul
Autor: Whitaker, Richard
Editora: Ciranda Cultural

5. Conquistando o Inimigo – Nelson Mandela e o jogo que uniu a África do Sul
Autor: Carlin, John
Editora: Sextante / GMT

Categorias: Livraria Cultural | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Foto do dia – ÁFRICA DO SUL

blackwhitekids4

Crianças sul africanas em creche de Joanesburgo. (Foto: Google)

Categorias: Foto do dia | Tags: , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Poema Contra a Discriminação Racial

heartPara homenagear o Dia Internacional de Luta Contra a Discriminação Racial, a poetisa Aline Lira fez um poema especial para o S/A Repassado. Frases cheias de sentido, que nos passa a importância e necessidade de criar laços de amor independente da etnia.

Al Cuore / Cores

Somos distintos
Na pele
Na mente
Nos moldes.
Nos cheiros.

Um vai 
Falar
O outro olhar.
Um estranhar.


A ignorância.

Se um “outro”
Não souber 
Dialogar;
As diferenças
Se justificaram
Pelas guerras.
Pelos traumas
Pelas dores.

Somos 
Todos
distintos
Na pele
Na mente
Nos moldes.

Mas levo
Comigo
O Instinto
de 
Mandela.

“Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar.

Aline Lira

Categorias: Poema | Tags: , , , , , , , , , , , | 1 Comentário

Discriminação NÃO

APARTHEIDCom a volta do S/A Repassado, vamos abordar assuntos sobre culturas do mundo todo e muitas notícias que as envolvem, e nesse 21 de março é comemorado o Dia Internacional de Luta Contra a Discriminação Racial, instituído pela ONU – Organização das Nações Unidas.

apartheid1

Reação violenta da polícia contra protestantes sul africanos (Foto: Google)

Bieber_Protest-against-Hanis-assassination_Web_0912

Movimento anti-Apartheid (Foto: ARTnews)

A data devesse a um importante fato acontecido em Joanesburgo, na África do Sul em 21 de março de 1960, o Apartheid, que reuniu cerda de 20 mil pessoas em um protesto pacífico contra a lei do passe, que tornaria obrigatório o uso de um cartão com os locais por onde negros poderiam entrar e sair. Infelizmente o fato terminou em tragédia, tendo a polícia como principais ocorrentes por abrir fogo contra os manifestantes desarmados, causando um massacre com 69 mortos e 186 feridos.

apartheid2

Corpo de um manifestante negro assassinado em Joanesburgo

O S/A deixa claro o nosso favoritismo por uma sociedade mais justa e sem descriminações, para que prevaleça o poder de ir e vir, independente de cor ou credo. Saiba um pouco mais sobre o Apartheid: http://migre.me/dMus1.

Categorias: História | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Drops S/A – Garota baleada pelo Taleban volta à escola

Malala Yousafzai, adolescente ativista e blogueira paquistanesa foi baleada na cabeça em 9 de outubro de 2012, em Swat Valley no Paquistão, lutando pelo direito das meninas estudarem em seu país. Após submeter-se a uma cirurgia no crânio, a garota voltou a escola no último dia 19 de março, na Inglaterra, para realizar o sonho de continuar os estudos.

Em entrevista para o jornal britânico Daily Mail, Malala declarou estar animada por voltar á escola e que todas as meninas do mundo também deveriam ter essa oportunidade.

Sharia Law in Pakistan's Swat Valley and North-West Frontier Province

Malala Yousafzai (Photo by Veronique de Viguerie/Getty Images)

 Aos 12 anos ela já era conhecida por ter um blog, onde postava os acontecimentos promovidos pelo Taleban em sua comunidade. Quando em 2009 eles haviam fechado cerca de 150 escolas para meninas e explodiram outras cinco. Veja mais notícias sobre esse caso: http://migre.me/dLSm0

Categorias: Drops S/A | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Cinema S/A – África do Sul

No novo formato editorial, o S/A também indicará filmes (caso existam) dos países trabalhados. E como nessa semana estamos falando de África do Sul, separamos boas dicas para aprender um pouco mais da história e cultura do país com uma pequena ajuda da sétima arte.

A maioria dos filmes têm como temas o Apartheid e a história de Nelson Mandela, mas é possível extrair muita coisa da cultura sul africana. Ao todo são 9 produções, entre filmes e documentários, com trailers e downloads para você, leitor do S/A Repassado!

1. Mandela – A Luta  pela Liberdade

Downloadhttp://migre.me/dLDdM

2. Repórteres de Guerra

Downloadhttp://migre.me/dLDHe

3. Borboletas Negras

Downloadhttp://migre.me/dLMI7

4. Um Mestre em Minha Vida

Downloadhttp://migre.me/dLNdn

5. Sombras do Passado (filme completo sem legenda)

6. Invictus

Downloadhttp://migre.me/dLNC3

7. Um Grito de Liberdade

Downloadhttp://migre.me/dLNLw

8. Em Nome da Honra

Downloadhttp://migre.me/dLOd9

9. Em Minha Terra

Downloadhttp://migre.me/dLOSO

Categorias: Cinema S/A | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Foto do dia – ÁFRICA DO SUL

Alcatéia de leões, animal típico da savana africana (foto: Google)

Categorias: Foto do dia | Tags: , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Drops S/A – Retrato indiano por Regina Moraes

Nesse mês de março, entre os dias 19 e 31, acontece em São Paulo, no Shopping Cidade Jardim, a exposição Retrato Social, com registros de uma Índia cheia de risos e símbolos.

A responsável pelos cliques foi da fotógrafa Regina Moraes, que viajou pela Índia durante 16 dias, passando pelas cidades de Delhi, Agra, Jaipur e Udaipur. Durante a viagem, Regina registrou passos de um povo rico pela cultura e história. Nas fotos é possível perceber que a fotógrafa não focou em momentos específicos, mas sim na bela simplicidade do dia a dia indiano.

Regina decidiu usar suas fotos na exposição para arrecadar fundos para a ONG Velho Amigo, na qual ela é a criadora. Veja uma prévia da exposição no site: www.retratosocial.com

Categorias: Drops S/A | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Foto do dia – ÁFRICA DO SUL

Casa típica da Vila Ndebele (Foto: Pinterest)

Categorias: Foto do dia | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

África do Sul, uma resistência cultural

Bandeira da República da África do Sul

Na semana que é comemorado o Dia Internacional de Luta Contra a Discriminação Racial, o S/A Repassado decidiu voltar com os posts diários falando de um país que marcou a história com lutas e superações, a África do Sul.

Um país multiétnico com mais de 50 milhões de habitantes, que tem a oferecer ao mundo lições e conhecimentos. Como no S/A as culturas em suas diferentes formas é o que nos motiva a expor um bom conhecimento para os leitores, vamos apresentar um pouco dessa exótica cultura que nos cativa. A África do Sul possui culturas bem peculiares por se tratar de uma nação com onze línguas faladas, uma democracia constitucional sendo república parlamentar, também conhecida por suas variedades de tribos como por exemplo a Zulu, uma das mais conhecidas do país.

Tribe Zulu

Membros da Tribo Zulu (Foto: Google)

Um povo que possuí fatos históricos que mudou opiniões pelo mundo e fez muita nação repensar sobre seus preconceitos e preceitos. Em 1948, inciou-se o apartheid, que foi um regime de segregação racial feito por um governo que por sua minoria branca quis acabar com os direitos da maioria negra do país. O regime teve em seus longos anos muitas manifestações contra tal seguimento, que em 1994 resultou em eleições multirraciais e mais democráticas, onde o grade líder antiapartheid Nelson Mandela, venceu as eleições presidenciais com o Congresso Nacional Africano.

Mandela-George-Square

Ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela (Foto: LocalNews Glasgow)

Uma curiosidade da África do Sul que atrai pessoas do mundo todo é a grande diversidade musical, que mesmo com todos os estilos, suas tribos e cidades mantém fortes raízes afrodescendentes, além da exótica comida africana, que vai de grilos fritos a crocodilos.

Para o S/A é um prazer falar sobre um país que marcou a história mundial!

Categorias: País da semana | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.