Posts Marcados Com: Documentário

Drops S/A: o drama da mutilação genital feminina

______________________

O dia 06 de fevereiro é marcado pela ONU como o Dia Internacional de Tolerância Zero à Mutilação Genital.
_____________

Nesse Drops S/A falaremos sobre um assunto que já foi abordado no blog como podem ver na matéria ‘Inspiração Somali‘, mas devido ao Dia Internacional de Tolerância Zero à Mutilação Genital iremos lembrá-los sobre essa injustiça que destrói vidas de milhões de mulheres há anos, principalmente em países da África e do Oriente Médio.

Para quem não sabe o que é a mutilação feminina, trata-se de uma prática cultural consistente em amputar o clitóris das mulheres ainda crianças, para que não possam sentir prazer durante suas relações sexuais. Infelizmente por se tratar de uma atitude cultural, muitos familiares e até mesmo mulheres, acreditam que se não houver a circuncisão elas não conseguirão arranjar um marido, pois esse doloroso processo demonstra que se é “pura”. Também usam como explicação que, uma mulher que não se submete a mutilação não “será capaz de dar à luz, ou que o contato com o clitóris é fatal ao bebê, e ainda, que melhora a fertilidade da mulher”. Infelizmente é assim que muitos pensam até hoje.

Mulheres de família somali - Fatma (a esquerda), Lu (filha de Fatma ao meio) e Samira (neta de Fatma direita). Fatma e Lu foram submetidas a circuncisão feminina, já Samira nascida no Reino Unido não passou pela multilação. (Imagem: BBC Brasil)

Mulheres de família somali – Fatma (a esquerda), Lu (filha de Fatma ao meio) e Samira (neta de Fatma a direita). Fatma e Lu foram submetidas a circuncisão feminina, já Samira nascida no Reino Unido, não passou pela mutilação. (Imagem: BBC Brasil)

Estima-se que cerca de 129 milhões de mulheres sofrem diariamente por terem passado por esse processo de circuncisão. Além de não sentirem prazer pela prática sexual, elas sofrem com graves dores e não conseguem manter seus órgãos genitais limpos, o que gera em infecções e podem levá-las à morte.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon afirma que a data é considerada uma oportunidade de colocar um basta nessa prática sócio-cultural, que tira de milhões de mulheres o direito de viverem felizes e saudáveis.

Os países marcados em vermelho são os principais locais onde ainda se é feita a mutilação feminina. (Imagem: Wikipédia)

Os países marcados de vermelho são os principais locais onde ainda se é feita a mutilação feminina. (Imagem: Wikipédia)

Alguns países africanos já adotaram leis contra a prática de circuncisão: Guiné-Bissau, Uganda, Quênia e Etiópia são alguns que não aceitam que as mulheres passem por essa crueldade. Lembrando que nos anos 90, a ex-modelo e ativista somali Waris Dirie deu uma proporção mundial ao assunto, após relatar tudo o que passou na Somália para uma tevê inglesa —, em 2010 foi lançado o filme “Flor do Deserto”, baseado em sua auto-biografia. Para assistir ao filme, basta clicar no vídeo abaixo:

Quer saber mais sobre mutilação genital feminina? Acesse:
ONU Brasil: www.unmultimedia.org 
Revista Exame: www.exame.abril.com.br
BBC: www.bbc.co.uk
 
Categorias: Drops S/A, Uncategorized | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

[S/A Entrevista] Skateistan: a esperança em forma de skate

_______________________________

Um jovem australiano, três skates e uma vontade imensa de reverter a história. Foi assim que Oliver Percovich criou o Skateistan, uma ONG que começou no Afeganistão e pode contribuir para o futuro de crianças que são conhecidas como filhos da guerra.

______________

foto1 cópia

Skateistan é uma Organização Não Governamental criada em 2007 pelo australiano Oliver Percovich, que depois de uma visita ao Afeganistão e com três skates em sua mala, começou a plantar uma semente de esperança nas crianças e adolescentes de Cabul, capital afegã. Ele passou a utilizar do esporte para tirar órfãos de guerra das ruas e contribuir na socialização e educação desses jovens. Inicialmente com poucos recursos, o skatista dava aulas básicas em uma piscina vazia da capital. Dois anos depois o projeto recebeu uma doação de mais ou menos 85 mil euros, a maior contribuição desde então que foi dada pelos governos do Canadá, Alemanha, Noruega e de indústrias voltadas ao universo do skate para que fosse construído o primeiro Skate Park do Afeganistão — incentivado, Oliver decidiu se dedicar 100% para o Skateistan, que hoje possui mais de 400 crianças e adolescentes no Afeganistão, e agora também no Camboja e Paquistão.  O seu trabalho é reconhecido mundialmente por quebrar tabus e ensinar meninas a andarem de skate, que juntas já somam cerca de 40% dos alunos, o que para a cultura afegã ainda não é de bom grado —, mas falaremos um pouco mais sobre isso adiante.

Gentilmente, Ollie (como gosta de ser chamado) cedeu uma pequena entrevista exclusiva para o S/A Repassado, falando sobre o Skateistan e mandando uma mensagem para os brasileiros.

O que mais te motivou a iniciar esse projeto?

Ollie: Vi a necessidade de conectar as crianças do Afeganistão com o resto do mundo. E eu também queria ensiná-las como serem solícitas entre si, em vez de depender dos outros pra resolver seus problemas.

Em 2011 foi lançado um documentário chamado “Skateistan – To Live and Skate Kabul”, que inicialmente era apenas um curta-metragem produzido pelo cineasta inglês Orlando Von Einsiedel, que mostra a vida de dois jovens afegãos que passaram a frequentar o Skateistan e mudam seu olhar com relação ao futuro do Afeganistão, depois de anos vivendo sob o regime talibã. Vale a pena assistir, é lindo.

Qual foi a maior dificuldade no início do Skateistan?

Ollie: Não tínhamos dinheiro, todos pensavam ser uma ideia maluca e o Afeganistão é potencialmente um lugar muito perigoso para se viver e trabalhar. Por isso ninguém acreditava que um dia seria possível realizar um projeto esportivo com meninas dentro do país.

slide01

slide10

Oliver entrou nesse projeto com a certeza de que não seria fácil dar início a um novo esporte no Afeganistão, principalmente após o período pós guerra que todos passavam. Porém ele afirma que o principal objetivo sempre foi acolher as crianças que vivem pelas ruas de Cabul, e que por isso lutou e luta pelo Skateistan para presenciar a diferença sendo feita pelos jovens afegãos. Ele deixa bem claro que ama o país como ele ama os seus habitantes.

O que mais te surpreende no povo afegão?

Ollie: As pessoas são muito resilientes em frente a tantos desafios. Eles valorizam a família, amigos e fazem ações através de redes socias, mesmo sem dinheiro.

A maior polêmica do Skateistan até hoje é a coragem que Oliver e sua equipe tiveram para iniciar um trabalho com garotas afegãs. Afinal o mundo sabe que, não apenas por se tratar de um país onde 99% de sua população é muçulmana, o Afeganistão tem um presente muito rigoroso quanto aos direitos femininos, e que infelizmente ainda hoje menos de 20% das meninas sabem ler ou escrever por motivos culturais.  Para lutar contra essa estatística o projeto possuí 40% de meninas entre o total de alunos e 50% de seus funcionários são mulheres.

Nesse vídeo é possível ver um pouco das atividades com as meninas, desde aulas educacionais a manobras de skate no galpão do Skate Park de Cabul.


GSD11-Kabul-AfghanClothesGirls cópia

Oliver, você acredita que a geração Skateistan mudará o Afeganistão? Como isso seria possível?

Ollie: Absolutamente! Eles irão mudar o Afeganistão mostrando uns aos outros que apesar das dificuldades durante o caminho de sua vidas, eles são felizes. Que oferecerão esperança para o país e serão dedicados a viver aprendendo no sentido de resolver os problemas que eles enfrentam na vida. A maior parte da população desse país é jovem, com 40% abaixo dos 14 anos. A juventude do Afeganistão irá ouvir essa mensagem de esperança e espalharão pelas crianças de suas mesmas idades, deste modo transformando a sociedade. Eles são fundamentais para decidirem o que querem, unir forças  e alcançarem seus objetivos.

Em setembro de 2012, o prédio da Força Internacional de Assistência para Segurança da OTAN sofreu um atentado suicida de um garoto de 17 anos,  que infelizmente também matou quatro alunos da ONG.  Os instrutores Nawab (17) e Korshid (14), a irmã de Korshid, Parwana (8), Assad, primo deles, e Mohammed Eesa, (13). Um fato muito triste, mas que de acordo com o porta-voz do Skateistan Cabul, Rhianon Bader, o incidente trágico só tornou ainda mais claro a importância que é preciso se dar às crianças de rua do Afeganistão.

slide02

O diretor da ONG acredita que se não fosse pelo skate ele seria uma pessoa muito mais chata e nem sonharia dar início ao projeto. Hoje, o Skateistan é sustentado por patrocinadores e investidores do mundo todo, além dos produtos com a marca da ONG, que são vendidos no site (www.skateistan.org), e também de doações feitas por pessoas físicas. Ele também já recebeu centenas de prêmios pelo seu trabalho com as crianças afegãs.

Ollie, qual mensagem você passaria para os brasileiros que também acreditam em um mundo com mais “Skateistan” e menos guerras?

Ollie: Existe um provérbio em Dari: “Drop by drop a river is formed – Gota a gota um rio é formado”. Se você quer ver alguma pequena mudança, seja o primeiro a fazer algo a respeito sobre isso. Existe algo muito poderoso em acreditar em si mesmo e agir, não importa o quão pequena seja a sua ação.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Apesar da curta entrevista, conseguimos entender o amor e o carinho que esse australiano tem pelo seu projeto. Que resgatar os filhos da guerra através do esporte com certeza dará frutos e fará história no mundo todo. Inspirador é como definimos o Skateistan. uma esperança para quem está do outro lado do mundo e descobre que existem “Olivers” ajudando a manter povos, que amam seu lar e cultura.

Saiba mais sobre o Skateistan através das suas redes sociais como Instagram, YouTube, Facebook, Vimeo e principalmente pelo site: www.skateistan.org.

Quer dar a sua opinião sobre essa postagem?
Então escreva o que quiser no espaço logo abaixo, será um prazer ler o seu comentário!

Categorias: Entrevista, Uncategorized | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Cinema S/A – África do Sul

No novo formato editorial, o S/A também indicará filmes (caso existam) dos países trabalhados. E como nessa semana estamos falando de África do Sul, separamos boas dicas para aprender um pouco mais da história e cultura do país com uma pequena ajuda da sétima arte.

A maioria dos filmes têm como temas o Apartheid e a história de Nelson Mandela, mas é possível extrair muita coisa da cultura sul africana. Ao todo são 9 produções, entre filmes e documentários, com trailers e downloads para você, leitor do S/A Repassado!

1. Mandela – A Luta  pela Liberdade

Downloadhttp://migre.me/dLDdM

2. Repórteres de Guerra

Downloadhttp://migre.me/dLDHe

3. Borboletas Negras

Downloadhttp://migre.me/dLMI7

4. Um Mestre em Minha Vida

Downloadhttp://migre.me/dLNdn

5. Sombras do Passado (filme completo sem legenda)

6. Invictus

Downloadhttp://migre.me/dLNC3

7. Um Grito de Liberdade

Downloadhttp://migre.me/dLNLw

8. Em Nome da Honra

Downloadhttp://migre.me/dLOd9

9. Em Minha Terra

Downloadhttp://migre.me/dLOSO

Categorias: Cinema S/A | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Virada Cultural 2010

divulgaçãoA prefeitura de São Paulo junto com a Secretária Municipal de Cultura organiza a 6ª edição da  Virada Cultural da cidade.

O evento tem atrações que aconteceram entre o dia 15 e 16 de maio (sábado e domingo). Estabelecimentos culturais ou comerciais de São Paulo — teatros, bares, escolas, galeiras, centros culturais, cineclubes, museus, casas de espetáculo, etc estaram abertos ao público durante a comemoração.

Alguns destaques de shows internacionais, são as apresentações dos músicos cubanos Barbarito Torres e Ignacio Mazacotte, integrantes do Buena Vista Social Club, as bandas de Janis Joplin (Big Brother & The Holding Co.), Frank Zappa (Grand Mother Re:Invented), ABBA Cover, Booker T. e Living Colour.

Pitty, CPM 22, Malu Magalhães, Céu, Jair Rodrigues, Zélia Duncan, Arnaldo Antunes e Titãs são alguns dos destaques nacionais que também estarão no evento de São Paulo.

divulgação

Abaixo a programação completa de shows da Virada Cultural 2010

PRAÇA JULIO PRESTES
(Av. Duque de Caxias, próximo a Sala São Paulo)

18h Barbarito Torres e Ignacio Mazacote (Cuba)
21h Zélia Duncan
00h Céu
03h Living Colour (EUA)
06h Los Sebozos Postizos
09h Palavra Cantada
12h Toquinho
15h ABBA – the Show (Suécia -Inglaterra)
18h Cantoria – Elomar, Xangai, Vital Farias e Geraldo Azevedo

PRAÇA DA REPÚBLICA
(Próximo à av. Ipiranga, virado para a Rua do Arouche)

19h Paulo Vanzolini
21h Nelson Sargento
23h Baile do Simonal – Wilson Simoninha e Max de Castro
01h Jair Rodrigues
03h Elza Soares e Sandália de Prata
05h Orlandivo e Clube do Balanço
07h Terreirão do Sobral
09h Almir Guineto
11h Reinaldo, o Príncipe do Pagode
13h Leandro Sapucay
15h Arlindo Cruz
17h Germano Mathias e Dicró

BULEVAR SÃO JOÃO
(Vale do Anhangabaú)

19h Hermeto Pascoal
21h Airto Moreira
23h Booker T (Eua)
01h The Temptations – Feat. Glenn Leonard (Eua)
03h Orquestra Popular de Frevo do Recife
05h Edy Star – Sociedade da Grã-Ordem Kavernista
Apresenta Sessão das Dez
07h Nei Lisboa
09h Nito Mestre (Sui Generis -Argentina)
11h Tatit, Wisnik e Nestrovski
13h Grupo Medusa
15h Flora Purim
17h Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz

VIEIRA DE CARVALHO
(Lgo. do Arouche, virado para a Av. Vieira de Carvalho)

19h Arrigo Barnabé – Caixa de Ódio: o Universo de Lupicínio Rodrigues
21h André Abujamra – Desengonçalves, Canções de Nelson Gonçalves
23h Frank Elvis & los Sinatras – Bailinho
01h Sidney Magal
03h Luis Caldas
05h Double You
07h Brothers of Brazil
09h Valdirene
11h Jerry Adriani
13h Angelo Maximo
15h Vanusa
17h Wanderléa

AV. SÃO JOÃO
(Av. São João, próximo a Rua General Osório, virado para a Av. Ipiranga)

20h Grand Mothers – Re:invented
22h Big Brother & the Holding Co.
00h Patrulha do Espaço
01h30 L.A. Guns
03h30 Carnavelhas – Tributo a Adoniran Barbosa
05h30 Krisium
07h30 Imbyra
09h30 Pitty
11h30 CPM 22 – Só Ramones
13h30 Raimundos
15h30 Pequeno Cidadão
17h30 Titãs

BARÃO DE LIMEIRA
(Alameda Barão de Limeira)

19h Orquestra Brasileira de Música Jamaicana
21h Pablo Moses (Jamaica)
23h Cidade Negra e Ras Bernardo – Lute para Viver (1991)
01h Fully Fullwood (Jamaica)
03h Planta e Raiz
05h Tribo de Jah
07h Djambi
09h Pedra Rara
11h Leões de Israel
13h Mano Bantu
15h Clinton Fearon (Jamaica)
17h Big Youth (Jamaica)

CASPER LÍBERO
(Washington Luís)

19h Juliana Kehl
20h40 Detetives
22h20 Tulipa Ruiz
h Dudu Tsuda
01h40 Cacau Brasil
03h20 Comma
05h Naná Rizzini
06h40 Banda Dc
08h20 Rodrigo Campos
10h Sambô
11h40 Rubra Pop Show
13h20 Karina Buhr
15h Sweet Flavour Band
16h40 Mallu Magalhães

CASPER LÍBERO
(Mauá)

18h10 Musica do Mato (MT)
19h50 Caldo de Piaba (AC)
21h30 Black Drawing Chalks (GO)
23h10 Camarones Orquestra Guitarrística (RN)
00h50 Galinha Preta (DF)
02h30 Plastique Noir (CE)
04h10 Baba de Mumm-Rá (TO)
05h50 Vendo 147 (BA)
07h30 Hey Hey Hey (RO)
09h10 4Instrumental (MG)
10h50 Aeromoças e Tenistas Russas (SP)
12h30 Nervoso e os Calmantes (RJ)
14h10 Terra Celta (PR)
15h50 Rinoceronte (RS)
17h30 Cabruêra (PB)

24 HORAS DE MARCHINHAS DE SÃO LUIZ DO PARAITINGA
(Lgo da Misericordia)

18h Banda Estrambelhados
21h Grupo Paranga
00h Lokomotiva Kabereca
03h Confrete
06h Quar de Mata
09h Tânia Moradei e Banda
12h Sincopado
15h Familia Santos
17h Charanga do Quadô

PÁTIO DO COLÉGIO: Palco do eu sozinho

19h Nô Stopa
20h30 Edvaldo Santana
22h Swami Jr.
23h30 Tião Carvalho
01h Ricardo Trip
02h30 Wesley Nóog
04h Thiago Lopes
05h30 Sandro Casanova
07h Bêca Arruda
08h30 Germano Porto Leite
10h Paulo Maradei
11h30 Tchello Palma
13h Bernardo Pellegrini
14h30 Ricardo Barros
16h Iara Rennó
17h30 Alzira E

PALCO PARA UMA PESSOA SÓ
(R. dos Timbiras com São João)

18h Marta Froes
20h Mauricio Sant’anna
22h Lafaiete Junior
00h Junior Meirelles
02h Renato Tupã
04h Paulinho Dias
06h Kitu Yang
10h Demetrius Lulo
12h Janaina Theodoro
14h Fabio Pereira
16h Claudia Romano

PISTA SÃO FRANCISCO
(Largo São Francisco)

20h Grace Kelly Dum
22h E – Cox – Live
00h Sabrina Tome
02h Du Serena
04h Rica Amaral
06h Snoop
08h Jollan
10h Marcelo D Sá
12h Mau Mau
14h Ramilson Maia
16h Dj Andy

PISTA SÉ
(Praça da Sé)

18h João Fonseca
20h Jonas Rosio
22h Gui Milani
00h Ritmo Live!
01h V.falabella
02h30 Swarup
04h30 Demonizz Live!
05h30 Edu Vs Dicksha
07h30 Zaghini
09h30 Burn In Noise
10h30 Deutsch
12h Aerospace Live!
13h Vidigal
15h Ticon Live!
18h Rafael Noronha & Re Dupre

PISTA SÉ
(Catedral da Sé)

18h Hermes – Laborg

PISTA SANTA EFIGÊNIA

18h João Gil
19h45 Gregão
21h30 R-Jay
23h15 Mark´s
01h Double C
02h45 Child
04h30 Speed
06h15 Flash
08h Gran Master Ney
09h45 Betão Grooves
11h30 Lobato
13h15 J-Key
15h Magoo
16h45 Marcelos e os Filhos

PISTA AROUCHE
(Largo do Arouche, em frente à Rua Rego Freitas)

18h Edson B
20h Edinei
22h Vadao
00h Mauro Borges
02h Juliana Lopes
04h Adriano Trulli
06h Ricardo Coppini
08h Shine
10h Dj Ramer
12h Jah Costa
14h Carla Tutti
16h Dimy Soler

LGO. DO PAISSANDÚ
(Sacada da Virada)

21h Rubens Peterlongo
22h Anvil Fx
23h Camilo Rocha
00h Mavis
01h Database
02h Sayhoooo!
03h Souksouklow
04h Thomash
05h Gui Aka Ugi
06h Coletivo Voodoohop

Veja toda programação da Virada na homepage do evento www.viradacultural.org/programacao

Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , , , , , , , , , | 2 Comentários

Documentário Verde e Amarelo

Pele Verde foi toda filmada em reservas de conservação do Amazonas apoiadas com recursos do banco Bradesco e Banco do Planeta.

Mais três episódios para os leitores dessa sexta-feira.

5° episódio “Lições de vida” (4:07)

O trabalho dos moradores com os produtos extraídos da natureza de uma forma sustentável, ou seja, sem prejudicar à mesma e poder usar como fonte de renda.

DESTAQUES: As centenas de artesanatos feitos com talas de cipó.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

6° episódio “A vida num piscar da lente” (4:37)

A diversidade da fauna que existe nas regiões próximas das reservas, e a preservação com extração das madeiras para não haver desmatamento territorial.

DESTAQUE: O dever em proteger as árvores na região da Amazônia.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

7° episódio “Conservando o futuro” (3:53)

Fotógrafo profissional trabalha oficina de fotografia com moradores das reservas.

DESTAQUE: A valorização das expressões dos moradores e suas atividades.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

E amanhã, sábado 13/03 finalizaremos a série Pele Verde com os episódios 8,9 e 10.

Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , , | Deixe um comentário

Documentário Verde e Amarelo

Pele Verde foi toda filmada em reservas de conservação do Amazonas apoiadas com recursos do banco Bradesco e Banco do Planeta.

Mais dois episódios para os leitores dessa quarta-feira.

3° Episódio (4:36)

“A volto dos Quelônios”

A necessidade da pescaria para sustento dos moradores de Uatumã e a preservação dos peixes que vivem pelos rios que cortam a comunidade.

DESTAQUE: O domínio da pescaria que começa desde pequeno.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

4° episódio (4:45)

“Cooperativas de idéias”

Educação escolar nas comunidades e as dificuldades dos moradores (maioria crianças) em ter acesso a bons ensinos.

DESTAQUE: O desafio de exercer a função de professor nas reservas.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Acompanhe o projeto também pelo Flickr, Twitter e Facebook.

Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , , | Deixe um comentário

Mostra de filmes brasileiros (gratuitos)

Cartaz de um dos filmes da Mostra Nacional - "A Negação do Brasil"

A mostra de cinema “Quase Inéditos” acontece no Centro Cultural São Paulo (CCSP), do dia 9 ao dia 21, de terça a sexta e com sessões às 16h, às 18h e às 20h. A entrada para todas é GRATUITA. A mostra consiste no resultado de uma seleção de filmes de ficção e documentários nacionais.

Fonte: Redação Catraca Livre

Confira programação completa dos filmes e dos dias que aconteceram as sessões no site do Catraca Livre.

Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , | Deixe um comentário

Documentário Verde e Amarelo

Nesta semana o S/A vai apresentar  um belíssimo documentário produzido em reservas ambientais da Amazônia ,com personagens reais que mostram e contam suas histórias.

É um projeto perfeito quando se trata de conteúdo, a série Pele Verde foi toda filmada em reservas de conservação do Amazonas, apoiada com recursos do banco Bradesco e Banco do Planeta, para mostrar um pouco da vida dos ribeirinhos que vivem dentro da floresta.

Maioria dos moradores das reservas (Catuá-Ipixina, Mamiraupa, Uatumã e Uacari) tiveram seu primeiro contato com a tecnologia, o que tornou as filmagens mais tocantes e bonitas.

Pele Verde foi dividida em 10 episódios com interesses voltados aos trabalhos sustentáveis que os moradores fazem nas reservas.

Os episódios contêm no máximo cinco minutos cada um, onde variam seus assuntos. O documentário foi dirigido pelo cineasta Jorge Bodannzky.

Aqui no S/A Repassado vamos dividir a série em 2 ou 3 episódios por dia, do dia 09/03 ao 13/03.

Esperamos que todos leitores se agradem em ver um pouco daquilo que a nossa terra oferece, CULTURA.

1° episódio (3:36)

“O Cinema invade a selva”

A preservação e o trabalho de contribuição com a natureza, e como é importante o zelo pela natureza.

DESTAQUE: O trabalho com os filhotes de tartarugas.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

2° episódio (4:21)

“Tucunaré, peixe tolo”

Moradores da reserva de Aiucá tomam à frente das filmagens e mostram o que acham interessante de sua comunidade.

DESTAQUE: Como é feito a farinha da região e como é o seu comércio.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Acompanhe o projeto também pelo Flickr, Twitter e Facebook.

Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , , | Deixe um comentário

Documentário à 1 real

Amanhã, dia 26/11 a Galeria Olido exibirá por R$ 1,00  documentário sobre Wilson Simonal, “Simonal, ninguém sabe o duro que dei”.

Documentário de Claudio Manoel, Calvito Leal e Micael Langer

Ex-cabo do exército que estorou nos anos 60, e foi  acusado de ser informante da ditadura militar em uma época extremamente difícil.

Programação:

Quando: 26/11 com três horários de exibição, às 15h, 17h e 19h.

Quanto: R$ 1,00

Onde: Galeria Olido – Av. São João, 473. Centro.

Informações: tel (11) 3331-8399 / 3397-0170

Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , | Deixe um comentário

Inspiração Somali

Há exatamente 5 anos uma matéria na revista Seleções me chamou a atenção. Não consigo me lembrar com todos os detalhes que gostaria mas sei que tratava-se de uma entrevista com a modelo somali Waris Dirie, que descrevia sua experiência de vida nada fácil, como foi  nascer em uma família nômade no deserto da Somália e ter que sofrer com seus costumes desde muito pequena.

Waris Dirie

Waris Dirie

Aos três anos Waris foi sujeita a um ato brutal e cultural, o ato da circuncisão  feminina (conhecida pela ONU como mutilação genital), no meio do deserto da Somália sem nenhuma anestesia, como era de costume em sua vila. A mutilação consiste em amputar o clitóris da mulher de modo que esta não possa sentir prazer durante o sexo. Além dela, a irmã de Waris passou pela mesma situação, tentou fugir de tanta dor, mas não suportou e perdeu sua vida por hemorragia. Quando completou treze anos, a pequena Waris foi prometida pelo seu pai a um homem de sessenta anos de idade. Um ato “comum” de sobrevivência para os nômades somalis, que nesse caso a filha foi trocada por 5 camelos.

Extremamente comovida com a situação, a mãe de Waris encorajou a filha que fugisse na calada da noite, pois não queria que ela tivesse uma vida tão sofrida como a dela. Então a garota fugiu pelo deserto somali com muita sede e fome em busca de uma chance de viver melhor, mesmo que tivesse que enfrentam todos seus medos durante essa fuga.

Um dos momentos marcantes dessa história enquanto ela fugiu pelo deserto, foi quando a garota extremamente fraca dormia em baixo de uma árvore seca e acordou com duas leoas a cheirando e provavelmente famintas, mas que por algum milagre não acharam interessante  devorar algo tão magro e sem vida. Depois de muita luta ela conseguiu chegar à capital Mogadíscio, e lá, se juntou aos familiares que a levaram para trabalhar na Embaixada Somali de Londres, onde por algum momento inesperados da vida foi descoberta pelo famoso fotógrafo Timothy Spall, que se encantou com a beleza da jovem e futuramente a deixaria conhecida mundialmente como uma grande modelo e ativista.

Hoje Waris é autora de quatro livros autobiográficos e dedica seu tempo e força como embaixadora da ONU para campanhas contra a mutilação genital feminina pelo mundo. A modelo e a Organização das Nações Unidas criaram uma Fundação que leva o seu nome www.waris-dirie-foundation.com.

banner1banner4banner6

Me lembrei desse fato, da história da modelo e ativista somali Waris Dirie porque como amante de documentários que sou, estava perambulando por alguns blogs e descobri que em 2009 será lançado o filme Desert Flower (Flor do Deserto), baseado no best-seller escrito por Waris. Essa informação me despertou a vontade de mostrar às pessoas a importância de conhecer muito mais do que a nossa vida possa chegar, independente de quem ou de onde. Todos precisam saber.

Fotos do filme Desert Flower:

1

Representação de Waris no deserto da Somália em sua vila,

3

com o homem de 60 anos designado como seu marido, que a comprou por 5 camelos

2

e como modelo nos anos 90.

Trailer legendado:

Considerações e reações:
Me lembro bem da minha revolta com aquele tipo de cultura que lia na revista, não acreditava, não achava certo, mas permanecia perplexo e rico, rico por aceitar que essa informação tivesse chegado até mim, pois foi crucial na minha vida. Me emocionei e fiquei estático diante daquele mundo que lia e não tinha o menor conhecimento. Foi o momento em que percebi o meu interesse em culturas extremas. Saber que há milhares de culturas ao redor do mundo e que mesmo assim continuamos nos prendendo ao nosso “imenso” espaço.

O despertar da matéria da “pequena” revista Seleções foi primordial para tomar a decisão que tomei na minha vida, de me tornar um comunicólogo.  Consigo ver que esse é o meu caminho e que assuntos como esses que li há 5 anos irão se repetir de diferentes maneiras, mas, que espero ter o prazer de um dia participar e ser a ponte dessas histórias para transpor qualquer barreira que limite as pessoas de conhecer o desconhecido e manter seu crescimento social e respeito alheio.

Saiba mais:

Mutilação Genital Feminina: http://tinyurl.com/d5oudg / http://tinyurl.com/25twnxh

Waris Dirie: http://tinyurl.com/2a8kaqx


Texto por Fernando Lima

Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , , , , , , , , , , , | 5 Comentários

Documentário Pixo – marginais ou artistas?

O fotógrafo da Folha João Wainer, em parceria com seu irmão, Roberto T. Oliveira, produziram um documentário sobre os pichadores de São Paulo que tem como vertente a vida do ex-pichador Djan Ivson.

Um dos registros feitos pelo fotógrafo João Wainer sobre a pichação em São Paulo, tema de seu documentário

Um dos registros feitos pelo fotógrafo João Wainer sobre a pichação em São Paulo, tema de seu documentário

Djan integrou o grupo que, no dia 26 de outubro do ano passado, invadiu e pichou o prédio da Bienal. Por conta disso, foi condenado a cumprir pena de serviços comunitários.

A discussão em torno da pichação, se é uma expressão artística ou crime contra o patrimônio, é também o tema central do documentário de Wainer, que registra diversas ações de pichadores.

O Documentário Pixo pelo jeito vai tirar as dúvidas que giram sobre os pichadores e suas artes marginalizadas na cidade de São Paulo. Você que lembra o dia em que um grupo de pichadores invadiram o espaço da Faculdade Belas Artes e picharam por volta de 10 minutos paredes, murais, janelas entre outras partes da instituição pode ver no trecho abaixo um pouco dessa invasão e o motivo dela.

Ao ver o documentário é VÁLIDO tentar entender o que se passa na cabeça de um pichador e o porque de suas atitudes tão discriminalizadas.


Assista ao um trecho de Pixo:

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Fonte: Folha Online

Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , , , , , | 13 Comentários

Blog no WordPress.com.